Imagem Intravascular

Métodos de imagem intravascular (ultrassom intracoronário e tomografia de coerência óptica)

Para que serve um método de imagem intravascular?

Os métodos de imagem intravascular (ultrassom intracoronário e tomografia de coerência óptica) são exames complementares realizados através da técnica do cateterismo cardíaco e que permitem caracterizar de  uma forma mais precisa os aspectos físicos das placas de ateroma (depósitos de gordura nas paredes das artérias do coração), estimando melhor a sua gravidade e a necessidade de um tratamento como, por exemplo, a angioplastia coronariana.

Os métodos de imagem intravascular poderão ser realizados durante o cateterismo cardíaco para melhorar a precisão do diagnóstico, ou durante o procedimento de angioplastia coronariana guiando a escolha mais adequada do stent.

 

Quais as diferenças entre o ultrassom intracoronário e a tomografia de coerência óptica?

O ultrassom intracoronariano (USIC) é um dispositivo localizado na ponta de um cateter, que é introduzido até uma das artérias do coração e que emite ondas de ultrassom. Com as imagens obtidas através das ondas de ultrassom, o USIC permite que o médico observe com precisão a placa de ateroma por dentro do vaso sanguíneo podendo inclusive medir o tamanho, a extensão e a forma como a placa é composta.

A tomografia de coerência óptica (OCT), da mesma forma que o USIC, é um dispositivo localizado na ponta de um catéter que é introduzido até uma das artérias do Coração. No entanto, o mecanismo de aquisição da imagem pela OCT utiliza a luz infravermelho, ao invés das ondas de ultrassom do USIC. Isto permite que a nitidez da imagem com a OCT seja melhor obtendo uma resolução 10 vezes maior que o USIC. Por outro lado, a realização das imagens pela OCT exige a utilização de uma quantidade de contraste um pouco maior. Sendo assim, os dois métodos são extremamente úteis, tem indicações semelhantes, mas a escolha por um ou outro deve ser individualizada pelo médico para cada caso.